fbpx

Descubra como estruturar treinamentos eficazes que geram resultados reais com o Design de Jornada de Aprendizagem!

Logo da Escudo

Acidente de Trabalho: prevenir é mais barato que remediar!

Receba os conteúdos no seu e-mail

Desde jovem, certamente todos ouvimos uma frase que serve para praticamente todos os aspectos de nossa vida: “prevenir é melhor do que remediar”. E, muito provavelmente, você já ignorou essa frase e sentiu na pele o quão verdadeiro é esse dito, seja com um resfriado, um prejuízo ou uma oportunidade que passou. Contudo, nos negócios, a história se repete, principalmente quando se trata de acidente de trabalho.

É fato que sua empresa precisa estar sempre buscando o topo e vislumbrando os melhores cenários, mas preparada para não sofrer com as dificuldades. Isso se aplica às questões econômicas, mercadológicas, legais, sociais, onde podemos trabalhar com uma analogia entre os riscos, as potencialidades e o equilíbrio entre eles. Mas se houver um ponto em que literalmente a frase se encaixa perfeitamente, sem analogia e sem qualquer meio termo, é naquilo que tange a Segurança e Saúde no Trabalho. Aqui, a opção de não prevenir não deveria sequer ser cogitada, e as consequências para quem ignora a prevenção são pesadíssimas.

Os números de acidente de trabalho no Brasil

De acordo com os números nacionais, alguns gestores ainda acabam escolhendo a “opção” de não prevenir. Em 2016, segundo o Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho do Ministério Público do Trabalho, 585.971 acidentes de trabalho foram registrados. Imagine que aqui estamos tratando, obviamente, de um universo de trabalhadores formais e dos casos em que o empregador cumpriu sua obrigação legal: realizar a comunicação. No mesmo ano, em decorrência desses acidentes, 2156 mortes ocorreram.

Se analisarmos um período maior de tempo você irá se assustar ainda mais. Em cinco anos, de 2012 a 2017, o Brasil registrou quase 4 milhões de acidentes de trabalho. Somando as consequências, temos mais de 305 milhões de dias de trabalho perdidos com afastamentos previdenciários, mais de 66 bilhões de reais com benefícios acidentários ativos no mesmo período e 14412 mortes acidentárias notificadas.

Acidente de Trabalho: o empregador também paga a conta

É claro que quando falamos da saúde e da vida de um trabalhador, a responsabilidade está nos ombros do empregador. Identificar os riscos existentes no ambiente de trabalho, eliminá-los, minimizá-los ou viabilizar meios de proteção para os trabalhadores obrigatoriamente expostos a esses riscos cabe a ele. E, da mesma forma, a responsabilidade está lá se algum desses pontos não for observado e um acidente acontecer.

Lembrando: quando falamos de acidente de trabalho, não pense apenas em uma ocorrência pontual, como se fosse um acidente de trânsito. Aqui são englobadas também lesões que surgem com o tempo e doenças causadas pela exposição a algum material, para citar exemplos alternativos.

A Câmara Brasileira da Indústria da Construção, em parceria com o SESI, elaborou uma ferramenta que simula os custos de acidentes e afastamentos de trabalho. A calculadora irá guiar você, garantindo sigilo sob os dados de sua empresa, de maneira bem didática, nos passos para gerar uma simulação que o ajudará a compreender o quão prejudicial pode ser lidar com uma situação de acidente de trabalho e a visualizar o impacto disso na realidade da sua empresa. Para acessar a ferramenta clique no link abaixo:

Então, como é possível prevenir?

Em primeiro lugar, é preciso deixar claro que se uma empresa cumpre todas as regras relacionadas à Saúde e Segurança no Trabalho, mesmo que seu ambiente ou operação ofereça riscos, todo acidente de trabalho pode ser evitado. Desta forma, podemos dividir em três os grandes grupos que precisam receber atenção: ferramentas e equipamentos, ambiente e pessoas.

ara prevenir o acidentes de trabalho, todas as ferramentas e equipamentos, maquinários, usados no dia a dia, precisam apresentar excelentes condições de trabalho e manutenção. E não vale confiar em prazos ou no resultado do trabalho que determinado equipamento está produzindo, muito menos esperar um sinal de problema. Somente a manutenção preventiva e uma constante inspeção técnica periódica podem garantir que tudo esteja em perfeitas condições de segurança para uso.

O estado do ambiente de trabalho é tão importante quanto o dos equipamentos. Tudo precisa estar limpo e organizado para evitar desde os acidentes mais “bobos”, como um escorregão ou tropeção em uma caixa de ferramentas, quanto aqueles envolvendo materiais perigosos. É importante também que tudo seja bem sinalizado, especialmente se uma determinada atividade possa representar risco não apenas a quem a executa, mas a outras pessoas que possam circular naquele ambiente.

Papel das pessoas na prevenção

Por fim, as pessoas – e essa é uma variável que influencia todas as outras. Obviamente, são pessoas que garantem a preservação, a limpeza e a organização do ambiente, bem como a manutenção dos equipamentos. Porém, são seres humanos também que os manuseiam, que desempenham as funções operacionais. Além disso, podemos listas a negligência, o excesso de confiança, a falta de conhecimento como a causa de muitos acidentes de trabalho. Características que todos nós podemos ter.

Em primeiro lugar, todos os trabalhadores precisam ter consciência da importância do trabalho com segurança. Por exemplo, não adianta a empresa cumprir sua obrigação de fornecer Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e o trabalhador não utilizá-lo como deveria. Ele também precisa conhecer a fundo os riscos do seu trabalho, diretamente, e aqueles que possam não estar ligados diretamente a sua função, mas que estejam presentes no entorno.

Sem falar, é claro, que o treinamento adequado e a reciclagem são essenciais. Não é a toa que existem treinamentos que são obrigatórios por lei. Mas todo conhecimento que possa agregar ao cotidiano laboral nunca é demais, e todo investimento se reverte tanto na produtividade da organização quanto na prevenção.

A questão da segurança é uma via de duas mãos, em que o gestor tem a obrigação de fornecer os meios e o conhecimento para um trabalho seguro, enquanto o trabalhador precisa ter a responsabilidade com o bom uso e a conservação do ambiente e dos equipamentos.

Prevenção no topo da lista

Agora pense conosco, e se preciso retorne à calculadora dos custos referentes a acidentes de trabalho: O que é o custo da manutenção dos equipamentos e do ambiente e o investimento em capacitação perto de um tratamento médico de alta complexidade, uma grande indenização? Ou mais da responsabilidade por uma vida, cujo valor não é sequer mensurável?

Essa equação matemática é muito fácil de ser resolvida: prevenir sempre foi, é e sempre será, muito melhor e mais barato do que remediar.

Mais de 15 mil pessoas já se inscreveram

Receba os conteúdos no seu e-mail

Veja mais posts

Um guia detalhado que aborda todas as partes da NR-22, incluindo requisitos...
Seguindo os passos de Planejamento, Execução, Verificação e Ação, é possível identificar...
Todos os trabalhadores estão sujeitos aos riscos ambientais, por isso é importante...

Entre em contato conosco

Preencha o formulário e um dos nossos especialistas entrará em contato com você para falar mais sobre as nossas soluções.