fbpx

Descubra como estruturar treinamentos eficazes que geram resultados reais com o Design de Jornada de Aprendizagem!

Logo da Escudo

Proteção em ambientes restritos: saiba mais sobre Permissão de Entrada e Trabalho

A PET desempenha um papel crucial na segurança de trabalhadores que atuam em espaços confinados. Sua emissão e cumprimento rigoroso garantem que atividades laborais ocorram em conformidade com normas regulamentadoras, prevenindo acidentes e protegendo vidas.

Receba os conteúdos no seu e-mail

Em um cenário onde a segurança no trabalho é crucial, especialmente em atividades perigosas, a Permissão de Entrada e Trabalho (PET) emerge como salvaguarda. Antecipadamente, compreender o que é a PET e sua aplicação é primordial para garantir a integridade dos trabalhadores. Do mesmo modo, ao explorar os espaços confinados, como túneis e silos, onde os riscos à saúde são eminentes, a PET se torna indispensável para prevenir acidentes.   

Leia mais:  

De acordo com a NR 33, a PET é um documento essencial que autoriza a entrada em espaços confinados e a realização de trabalhos nesses ambientes desafiadores. Principalmente, ela só deve ser emitida após a realização de testes, conferência de equipamentos de segurança e verificação de procedimentos. Além disso, as funções do supervisor de entrada vão desde a emissão da PET até a certificação de que os procedimentos sejam seguidos e que o local esteja seguro.   

Além disso, ele deve garantir que o socorro esteja preparado a qualquer momento, suspendendo o trabalho se perceber algum risco aos funcionários. Em suma, este artigo fornecerá uma visão abrangente da Permissão de Entrada e Trabalho, destacando sua importância no contexto de espaços confinados, onde a segurança dos trabalhadores é a principal prioridade.  

  

O que é a PET e sua importância em espaços confinados  

Antes de mais nada, é fundamental compreender que a Permissão de Entrada e Trabalho (PET) desempenha um papel crucial no ambiente de espaços confinados. A NR 33, norma regulamentadora específica, estabelece que nenhum profissional pode iniciar suas atividades nesses locais sem a devida autorização por meio da PET.   

Sobretudo, essa documentação funciona como uma garantia essencial, assegurando que o ambiente ofereça condições seguras para o desempenho das atividades laborais, tornando-se uma obrigatoriedade.  

Em primeiro lugar, a PET é emitida antecipadamente, conforme a NR 33, pelo supervisor de entrada, que desempenha um papel crucial nesse processo. Além disso, essa permissão não é apenas um procedimento burocrático, é uma medida primordial que resguarda a saúde e segurança dos trabalhadores. Ela abrange informações detalhadas sobre:  

  • Local,   
  • Procedimentos a serem realizados,   
  • Trabalhadores autorizados,  
  • Planos de emergência.  

Também é importante destacar que, frequentemente, a PET é válida apenas para uma entrada, demandando uma nova emissão para atividades subsequentes. Ou seja, este processo, além de garantir a conformidade com as normas, é uma prática que, acima de tudo, prioriza a integridade e bem-estar dos profissionais que atuam em espaços confinados.  

 

Funções do supervisor de entrada  

Segundo a NR 33, a Permissão de Entrada e Trabalho (PET) é emitida pelo supervisor de entrada. Este profissional desempenha uma função primordial:  

  • Realizar testes;
  • Conferir equipamentos de segurança;
  • Garantir a prontidão do socorro.   

Além disso, a PET, desde já, requer informações específicas, incluindo o local, os trabalhadores autorizados e os planos de emergência.  

Ainda assim, as funções do supervisor de entrada vão além da emissão da PET. Contudo, ele deve certificar-se de que todos os procedimentos e equipamentos listados na permissão estejam no local antes do início das atividades. Ademais, é sua responsabilidade suspender o trabalho se perceber qualquer risco aos funcionários.   

Em outras palavras, o supervisor é peça-chave para assegurar que as condições de segurança sejam rigorosamente mantidas.  

  Checklist de elaboração do PGR. Te ajudamos a não esquecer nenhum ponto importante!

 

Quando a Permissão de Entrada e Trabalho é necessária e como é emitida  

De acordo com a NR 33, que estabelece os parâmetros para o trabalho nesses locais, espaços confinados são áreas não projetadas para ocupação humana contínua. Assim, a emissão da PET é obrigatória, sendo vital para garantir a segurança dos trabalhadores.  

Ainda assim, a emissão da PET é um processo complexo, regido por normas rigorosas. Ela é realizada pelo supervisor ou empresa contratante, que, sobretudo, deve conduzir inspeções e testes detalhados dos equipamentos.  

Do mesmo modo, são necessários exames médicos específicos para os trabalhadores, garantindo que estejam aptos para adentrar esses ambientes. Em outras palavras, o conhecimento detalhado dos riscos e medidas de controle é crucial para assegurar a conformidade com as normas de segurança.  

Lembrando que a Permissão de Entrada e Saída é válida apenas para uma entrada. Portanto, constantemente, a revisão do procedimento é necessária, considerando mudanças nos riscos e situações não previstas. Além disso, posteriormente, a PET encerrada deve ser arquivada por cinco anos. Todo esse processo, desde a emissão até a avaliação, é vital para garantir ambientes de trabalho seguros e em conformidade com as normas estabelecidas.  

  

Sistema Escudo: uma aliada da Permissão de Entrada e Trabalho  

Em conclusão, a PET desempenha um papel crucial na segurança de trabalhadores que atuam em espaços confinados. Sua emissão e cumprimento rigoroso garantem que atividades laborais ocorram em conformidade com normas regulamentadoras, prevenindo acidentes e protegendo vidas.   

Ao abordar as necessidades cruciais dos clientes em relação à NR 33, é inegável a importância de uma abordagem moderna e diferenciada. A Sistema Escudo, como pioneira na criação da primeira Universidade Corporativa do Brasil focada em Saúde e Segurança no Trabalho (SST), surge como uma solução abrangente.   

Com mais de 100 treinamentos e simuladores no catálogo, a Sistema Escudo oferece uma gama completa de recursos, desde a automação de envios para o eSocial até a redução significativa de retrabalho e erros.  

Sendo assim, aqui na Escudo, nós oferecemos os treinamentos que esta norma exige. São eles:  

  • Trabalhador e vigia;   
  • Trabalhador e vigia (reciclagem);   
  • Supervisor de entrada;   
  • Supervisor de entrada (reciclagem).   

Mais do que apenas um catálogo robusto, a Sistema Escudo prioriza a conformidade com a NR 1, garantindo a segurança jurídica tanto para a empresa quanto para seus clientes.  

Ou seja, em sintonia com a busca por soluções ocupacionais eficazes, proporcionamos uma gestão completa dos treinamentos, facilitando a implementação e monitoramento desses processos. Ao oferecer uma resposta completa às demandas do mercado, a solução da Sistema Escudo não apenas atende às exigências normativas, mas também eleva os padrões de segurança corporativa.  

Para explorar todas as possibilidades e iniciar uma parceria voltada para o futuro, basta clicar no banner abaixo e agendar uma consulta com nossos especialistas. Amplie seu catálogo e proporcione aos seus clientes a excelência em treinamentos de NR 33 e Permissão de Entrada e Trabalho.  

Converse com um dos nossos especialistas

Mais de 15 mil pessoas já se inscreveram

Receba os conteúdos no seu e-mail

Veja mais posts

Seguindo os passos de Planejamento, Execução, Verificação e Ação, é possível identificar...
Todos os trabalhadores estão sujeitos aos riscos ambientais, por isso é importante...
Descubra tudo sobre a NR15 e suas implicações legais para garantir a...

Entre em contato conosco

Preencha o formulário e um dos nossos especialistas entrará em contato com você para falar mais sobre as nossas soluções.